Pode ser possivel…

Quantas vezes a gente coloca um monte de limite para os nossos sonhos, dando aquelas desculpas esfarrapadas e seguindo a vida… como todo mundo faz?

Hoje eu venho aqui para escrever uma de historia de outra pessoa, meu irmão que há 5 meses resolveu colocar a mochila nas costas, encarar o mundo, continue a leitura e descubra um pouquinho mais dessa historia.

Tudo começou naquelas “metas” de final de ano que dizia: “Em 2019 eu farei um mochilão” e sem muito planejamento além da primeira parada que seria Buenos Aires ele embarcou, rumo a sua primeira parada em 12 de fevereiro de 2019, a meta se tratava de conhecer o maior numero de locais possíveis, gastar a menor quantia possível e encarar o que o destino reservasse, sem fazer muitos planos.

Como um aprendiz de viajante, gastou uma grana maior que o previsto no primeiro mês, rolou duvida, medo, são nessas horas que passa um filme na cabeça da gente, rola aqueles questionamentos: “será que esse é o caminho mesmo, seria a melhor decisão continuar?” ainda assim, tinha algo que gritava em sua cabeça pra aguentar e aprender. Toda aquela experiência virou lição e foi seguindo seus passos pra onde o coração vibrava.

 

Na jornada fez voluntariado pelo Worldpackers, se hospedou pelo Couchsurfing, (vamos falar disso em outros posts). Encarou o receio de pedir caronas e descobriu que além de não ter custo era um ótimo meio de conhecer mais sobre a cultura local e fazer alguns amigos. Já vendeu chocolate para fazer dinheiro, e encarou a vergonha de ser socialmente aceito. Aprendeu coisas novas como lidar com as cabras, esquiar, descobrir  novas culturas, e a mágica desse mundo foi se dar conta de que a real aventura estava em tudo há algo pra se aprender e algo pra compartilhar.

No meio do caminho uma data importante aconteceu, seu aniversário, em um primeiro momento os seus pensamentos eram: não vai ser fácil, sem meus amigos, sem minha família. E o universo o presenteou com um tempo no mesmo lugar, e descobriu que acolhimento e “lar” podem ser redescobertos ao longo da jornada, pessoas há semanas conhecidas o acolheram e festejaram a data, com muito a comemorar. Teve festa surpresa, bolo, presente e danças típicas… isso de fato não substituiu as raízes, mas a tecnologia ajuda nesses momentos, e uma ligação para os pais no Brasil ajudou um pouco a cuidar da saudade.

 

Sem ter um roteiro pré-definido, ele segue o caminho que melhor convém naquele momento, coloca em pratica a lei natural do mínimo esforço que diz:  A inteligência da natureza funciona sem esforço – as flores não tentam desabrochar, elas desabrocham; os pássaros não tentam voar, eles voam. Se buscamos poder, dinheiro ou felicidade para a satisfação do ego, desperdiçamos energia; mas se nossas ações são motivadas por amor, harmonia e alegria, nossa energia se multiplica e podemos usar o excedente para criar o que quisermos. Até agora nos seus relatos de viagem Jhonny não se arrepende de nada que acontece, e aprendeu muita coisa que jamais teria aprendido sentado no sofá.

Isso é só um breve resumo de 05 meses de viagem, podemos contar aqui mais detalhes de cada passo, de cada cidade, e quem quiser é só deixar o comentário. Pra fechar, deixo aqui um recado nas próprias palavras do Jhonny:

“Não espere a hora certa, o momento correto ou ter grana suficiente para fazer aquilo que quiser, apenas tome a decisão e deixe a vida fazer o resto!”

Quem quiser acompanhar de perto essa historia, sigam-o nas redes sociais: Instagram @jhonny.coach e Facebook @jhonnyurs.

 

Beijos,

Vejo vocês pelo caminho!

 

 

 


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s